21 de setembro de 2015 O documentário “O Dia do Galo” tem sessão unica e exclusiva no Lumière

O DIA DO GALO (3)

 

Na véspera da comemoração de dois anos da conquista da Copa Libertadores pelo Galo, documentário estreia como registro do feito atleticano.

11050302_925921784107980_3436190738977601749_nO documentário “O Dia do Galo”  narra a emocionante conquista da Copa Libertadores da América de 2013 pelo Clube Atlético Mineiro, acompanhando a rotina de dez atleticanos na data da grande final do torneio.

Para transformar o projeto em realidade, o diretor Cris Azzi convidou o Coletivo NITRO + Alicate e formou uma equipe de quase 50 atleticanos, entre personagens e produtores. O resultado é um filme apaixonado e muito comovente, à altura da conquista alvinegra.
“A ideia de misturar futebol e cinema, duas das minhas maiores paixões, é antiga. Desde 2004, flerto com a possibilidade de fazer um filme sobre o Galo. Acredito que as coisas tem um tempo certo pra acontecer e esse tempo chegou. Poder fazer parte de um registro histórico que certamente será eternizado na memória do público (especialmente dos atleticanos) é motivo de um orgulho gigante. As sessões do filme no Cinefoot e na Mostra de Tiradentes nos deram a dimensão do diálogo emocional que o filme provoca nos espectadores. Essas exibições nos festivais comprovaram a capacidade do filme de transportar o espectador para dentro do estádio naquele 24 de Julho de 2013. Me faz lembrar da clássica história de que o público fugia assustado quando o trem chegava na estação no filme dos irmãos Lumière. A diferença é que, ao invés de fugir, o público vibra como se sentisse de novo a alegria daquela noite.”, define Cris Azzi.

Co-dirigido por Luiz Felipe Fernandes, o filme foi lançado, primeiramente, em uma versão reduzida e disponibilizado na internet. O curta-metragem, com 22 minutos de duração, foi uma ação inicial realizada pelos produtores para motivar os jogadores e toda a massa atleticana na disputa do Mundial de Clubes.  Confira o curta abaixo.

O filme traz personagens como Mario Henrique Caixa, deputado estadual e narrador esportivo, e Seu Orlando, proprietário de um dos mais antigos e famosos bares da cidade, no Bairro de Santa Tereza.

O longa-metragem passou por festivais de cinema nacionais e internacionais, recebendo prêmios, menções e obtendo excelente repercussão junto ao público. Na 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes, foi exibido ao ar livre e recebeu o título de vencedor da categoria Júri Popular. O filme também foi Vencedor da Mostra Competitiva Cinefoot BH 2014.

Fonte: Atletico