14 de fevereiro de 2017 Bafta 2017: ‘La la land: Cantando estações’ é grande vencedor do prêmio britânico

bafta-casey-affleck-manchester

O ator Casey Aflleck, e seu prêmio

“La La Land: Cantando estações” foi o grande vencedor do BAFTA, maior prêmio do cinema britânico, ao levar neste domingo (12) estatuetas em cinco categorias, entre elas melhor filme, melhor diretor (Damien Chazelle) e melhor atriz (Emma Stone). Com isso, o musical se fortalece ainda mais como favorito ao Oscar de 2017. O filme, indicado em dez categorias da premiação da Academia Britânica de Artes do Cinema e da Televisão, ainda foi o escolhido como melhor fotografia e melhor canção original.

Já o longa “Eu, Daniel Blake”, do diretor Ken Loach, levou o prêmio de melhor filme britânico. Casey Affleck, de “Manchester à beira-mar”, foi o vencedor na categoria de melhor ator. Viola Davis, como esperado, ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante por “Um limite entre nós”. A zebra ficou com a escolha de Dev Patel (“Lion: Uma jornada para casa”) como melhor ator coadjuvante. “Lion” ainda deu a Luke Davies a estatueta na categoria de melhor roteiro adaptado. Roteiro original ficou para Kenneth Lonergan, de “Manchester à beira-mar”.

Na categoria de animação, “Kubo e as cordas mágicas” foi o escolhido dos britânicos. Tom Holland, ator que viverá o herói de “Homem-Aranha: De volta ao lar”, foi eleito pelo público como a revelação do ano. A premiação ainda contou com a presença do príncipe britânico William e sua mulher, Kate Middleton.

Confira a lista completa de vencedores:

Veja a lista completa com os ganhadores:

Melhor filme

  • “La la land: Cantando estações”
  • “Eu, Daniel Blake”
  • “A chegada”
  • “Manchester à beira-mar”
  • “Moonlight: Sob a luz do luar”

Melhor filme britânico

  • “Eu, Daniel Blake”
  • “Animais fantásticos e onde habitam”
  • “Notes on blindness”
  • “American honey”
  • “Negação”
  • “Sob a sombra”

Melhor filme de diretor, roteirista ou produtor britânico estreante

  • “The girl with all the gifts” (Mike Carey, roteirista; Camille Gatin, produtora)
  • “The hard stop” (George Amponsah, roteirista, diretor e produtor; Dionne Walker, roteirista e produtora)
  • “Notes on blindness” (Peter Middleton, roteirista, diretor e produtor; James Spinney, roteirista e diretor; Jo-Jo Ellison, produtor)
  • “The pass” (John Donnelly, roteirista; Ben A. Williams, diretor)
  • “Under the shadow” (Babak Anvari, roteirista e diretor; Emily Leo, produtor; Oliver Roskill, produtor; Lucan Toh, produtor)

Melhor filme em língua estrangeira

  • “Dheepan: O refúgio” (Jacques Audiard)
  • “Julieta” (Pedro Almodóvar)
  • “Mustang” (Deniz Gamze Ergüven)
  • “O filho de Saul” (Lázló Nemes”)
  • “Toni Erdmann” (Maren Ade)

Melhor documentário

  • “A 13ª emenda” (Ava DuVernay)
  • “The Beatles: Eight days a week – The touring years” (Ron Howard)
  • “The eagle huntress” (Otto Bell)
  • “Notes on blindness” (Pete Middleton e James Spinney)
  • “Weiner” (Josh Kriegman e Elyse Steinberg)

Melhor animação

  • “Procurando Dory” (Andrew Stanton)
  • “Kubo e as cordas mágicas” (Travis Knight)
  • “Moana: Um mar de aventuras” (Ron Clements e Don Hall)
  • “Zootopia” (Byron Howard e Rich Moore)

Melhor diretor

  • Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)
  • Ken Loach (“Eu, Daniel Blake”)
  • Denis Villeneuve (“A chegada”)
  • Kenneth Lonergan (“Manchester à beira-mar”)
  • Tom Ford (“Animais noturnos”)

Melhor roteiro original

  • Taylor Sheridan (“A qualquer custo”)
  • Paul Laberty (“Eu, Daniel Blake”)
  • Damien Chazelle (“La la land: Cantando estações”)
  • Kenneth Lonergan (“Manchester à beira-mar”)
  • Barry Jenkins (“Moonlight: Sob a luz do luar”)

Melhor roteiro adaptado

  • Eric Heisserer (“A chegada”)
  • Robert Schenkkan e Andrew Knight (“Até o último homem”)
  • Theodore Melfi e Allison Schroeder (“Estrelas além do tempo”)
  • Luke Davies (“Lion: Uma jornada para casa”)
  • Tom Ford (“Animais noturnos”)]

Melhor ator

  • Ryan Gosling (“La la land: Cantando estações”)
  • Casey Affleck (“Manchester à beira-mar”)
  • Jake Gyllenhaal (“Animais noturnos”)
  • Andrew Garfield (“Até o último homem”)
  • Viggo Mortensen (“Capitão fantástico”)

Melhor atriz

  • Emma Stone (“La la land: Cantando estações”)
  • Amy Adams (“A chegada”)
  • Emily Blunt (“A garota no trem”)
  • Natalie Portman (“Jackie”)
  • Meryl Streep (“Florence: quem é essa mulher?”)

Melhor ator coadjuvante

  • Aaron Taylor-Johnson (“Animais noturnos”)
  • Dev Patel (“Lion: Uma jornada para casa”)
  • Hugh Grant (“Florence: Quem é essa mulher?”)
  • Jeff Bridges (“A qualquer custo”)
  • Mahershala Ali (“Moonlight: Sob a luz do luar”)

Melhor atriz coadjuvante

  • Hayley Squires (“Eu, Daniel Blake”)
  • Michelle Williams (“Manchester à beira-mar”)
  • Naomie Harris (“Moonlight: Sob a luz do luar”)
  • Nicole Kidman (“Lion”)
  • Viola Davis (“Um limite entre nós”)

Melhor canção original

  • Jóhann Jóhannsson (“A chegada”)
  • Mica Levi (“Jackie”)
  • Justin Hurwitz (“La la land: Cantando estações”)
  • Dustin O’Halloran e Hauschka (“Lion”)
  • Abel Korzeniowski (“Animais noturnos”)

Melhor fotografia

  • Bradford Young (“A chegada”)
  • Giles Nuttgens (“A qualquer custo”)
  • Linus Sandgren (“La la land: Cantando estações”)
  • Greig Fraser (“Lion”)
  • Seamus McGarvey (“Animais noturnos”)

Melhor edição

  • Joe Walker (“A chegada”)
  • John Gilbert (“Até o último homem”)
  • Tom Cross (“La la land: Cantando estações”)
  • Jennifer Lame (“Manchester à beira-mar”)
  • Joan Sober (“Animais noturnos”)

Melhor design de produção

  • John Bush e Charles Wood (“Doutor Estranho”)
  • Stuart Craig e Anna Pinnock (“Animais fantásticos e onde habitam”)
  • Consolata Boyle (“Florence: Quem é essa mulher?”)
  • Madeline Fontaine (“Jackie”)
  • Mary Zophres (“La la land: Cantando estações”)

Melhor cabelo & maquiagem

  • Jeremy Woodhead (“Doutor Estranho”)
  • Roy Helland e Daniel Phillips (“Florence: Quem é essa mulher?”)
  • Shane Thomas (“Até o último homem”)
  • Donald Mowat e Yolanda Toussieng (“Animais noturnos”)
  • “Rogue One: Uma história Star Wars”

Melhor som

  • Claude La Haye, Bernard Gariépy Strobl e Sylvain Bellemare (“A chegada”)
  • Mike Prestwood Smith, Dror Mohar, Wylie Stateman e David Wyman (“Horizonte profundo: Desastre no Golfo”)
  • Niv Adiri, Glenn Freemantle, Simon Hayes, Andy Nelson e Ian Tapp (“Animais fantásticos e onde habitam”)
  • Peter Grace, Robert Mackenzie, Kevin O’Connell e Andy Wright (“Até o último homem”)
  • Mildred Iatrou Morgan, Ai-Ling Lee, Steve A. Morrow, Andy Nelson (“La la land: Cantando estações”)

Melhores efeitos visuais

  • Louis Morin (“A chegada”)
  • Richard Bluff, Stephane Ceretti, Paul Corbould e Jonathan Fawkner (“Doutor Estranho”)
  • Tim Burke, Pablo Grillo, Christian Manz e David Watkins (“Animais fantásticos e onde habitam”)
  • Robert Legato, Dan Lemmon, Andrew R. Jones e Adam Valdez (“Mogli: O menino lobo”)
  • Neil Corbould, Hal Hickel, Mohen Leo, John Knoll e Nigel Sumner (“Rogue One: Uma história Star Wars”)

Melhor curta-metragem de animação britânico

  • “The Alan dimension” (Jac Clinch, Jonathan Harbottle e Millie Marsh)
  • “A love story” (Khaled Gad, Anushka Kishani Naanayakkara e Elena Ruscombe-King)
  • “Tough” (Jennifer Zheng)

Melhor curta-metragem britânico

  • “Consumed” (Richard John Seymour)
  • “Home” (Shpat Deda, Afolabi Kuti, Daniel Mulloy e Scott O’Donnell)
  • “Mouth of hell” (Bart Gavigan, Samir Mehanovic, Ailie Smith e Michael Wilson)
  • “The party” (Farah Abushwesha, Emmet Fleming, Andrea Harkin e Conor MacNeill)
  • “Standby” (Charlotte Regan e Jack Hannon)

Revelação (voto do público)

  • Anya Taylor-Joy
  • Laia Costa
  • Lucas Hedges
  • Ruth Negga
  • Tom Holland

Comentários